Porto Alegre em Cena - Festival Internacional de Artes Cênicas - poaemcena

Breguetu (PE)

 

15/09 às 23h - Sala Álvaro Moreyra / Ingressos: R$ 40-80

Compre seu ingresso online >> uhuu.com/poa-em-cena

 

O espetáculo chega a Porto Alegre depois de já ter circulado por mais de quinze cidades e encantado o público Brasil afora. Com direção da bailarina e coreógrafa Mônica Lira, a obra segue uma narrativa de dança-teatro que aproxima o artista da plateia, criando uma experiência única, que através da dança e dos movimentos corporais, falam sobre o Brega do Recife, na visão da dança que o Grupo Experimental cria.  Ao mesmo tempo em que desmistifica de forma provocativa este universo, traz uma reflexão acerca das relações entre classes sociais, estilos de vida e sobre a estética da periferia. O espetáculo aborda ainda temáticas globais, como o tempo, as diferentes maneiras de se viver o agora, em que a sensualidade, os sentimentos e tudo o que é mais pungente acaba encontrando no fluxo de movimentos o caminho para se construir como um discurso contemporâneo.

 

Ficha técnica:

Direção: Mônica Lira / Elenco: Jennyfer Caldas, Rafaella Trindade, Anne Costa, Gardênia Coleto, Jorge Kildery e Everton Gomes / Iluminação: Beto Trindade / Trilha sonora – criação e seleção de músicas: Céu, Banda Torpedo, Banda Camelô, Musa do Calypso, Kelvis Duran, Ritmo Quente, Banda Sedutora e trilhas criadas por Marcelo Ferreira e João Paulo Oliveira / Ator convidado: Juliano Barros / Produção musical: Marcelo Ferreira, João Paulo Oliveira e Grupo Experimental / Figurino: Carol Monteiro / Cenário: Carlos Moura, Emeline Soledade, Danilo Carias e Rafael FX / Sonoplasta: Danilo Carias / Assessoria de produção: Caio Trindade / Textos e release: Danilo Carias e Paula Caal / Faixa etária: 16 anos / Duração: 60min

 

Foto: RogerioAlves

 

Grupo Experimental de Recife – 25 anos

 

O Grupo Experimental, fundado em 1993 na cidade de Recife (PE), tem lugar de destaque na dança contemporânea produzida no nordeste brasileiro, por sua originalidade e contribuição à profissionalização da cena local, sendo reconhecida nacional e internacionalmente. Tendo a experimentação e a interação com diferentes linguagens artísticas como base de sua pesquisa, a companhia conta com acervo repleto de criações que priorizam a colaboração e o trabalho em equipe como caminhos para manter a arte como veículo de transformação, desenvolvimento e respeito à diversidade.

 

Nas palavras da fundadora e diretora, Mônica Lira: “o que me inspira a criar é olhar para as pessoas, para as tradições que mostram uma cidade inquieta, que ocupa as ruas, os espaços. A cidade para mim é um espaço de descobertas, sobretudo quando olho para a dança no corpo desse lugar. Eu crio pensando em tudo isso, em como eu posso levar para a dança toda essa narrativa que acontece todos os dias, em todos os lugares. Eu não criei o grupo pensando apenas em dançar e ocupar os palcos. Eu criei um grupo para discutir e pensar esse lugar que a arte ocupa na formação das pessoas, da política e das formas como nós melhoramos o mundo. E eu acredito que a obra de verdade é fruto destes experimentos que a gente descobre fazendo”.

 

Por sua forma de criar e interagir com a cidade e os artistas, o grupo deu vida ao Espaço Experimental, que além de servir como sede, transformou-se em um local de referência, onde afluem bailarinos, coreógrafos, professores, pesquisadores, produtores e outros profissionais ligados à dança contemporânea, ajudando a consolidá-la. O grupo, junto ao Espaço Experimental, realiza projetos socioeducativos, seminários, oficinas práticas e teóricas, grupos de estudo e programas de intercâmbio na produção de dança. Neste contexto, viabilizando também ações itinerantes, em que novos artistas são formados e incentivados a manter viva a dança em lugares diversos.

 

Em comemoração aos 25 anos, o Grupo Experimental apresenta três espetáculos na programação: Breguetu, Pontilhados e Zambo, além de realizar uma residência em nossa cidade.

Tags:

Please reload