Intervenções urbanas Corpo e Cidade



21/10 – 14h às 17h

Zoom – online


Vagas limitadas: 20 vagas


Documentos necessários para inscrição: mini bio e carta de intenção/

interesse na oficina


A Anti Status Quo Companhia de Dança convida artistas de todo o Brasil

e de Porto Alegre que transitam entre as artes performativas e visuais

para uma partilha e uma experiência sobre a relação do corpo com a

cidade. A proposta é de imersão no campo expandido da dança em

aproximação com as artes visuais e a performance art por meio de uma

das criações do grupo de Brasília-DF, a intervenção urbana/ site

specific: CAMALEÕES. Trabalho que faz parte da pesquisa Corpo e

Cidade desenvolvida desde 2003 que investiga ações artísticas a partir,

para, sobre e nas ruas das cidades.


As ideias do trabalho serão destrinchadas até chegarmos nos conceitos,

mergulhando em investigações práticas e aguçamentos de camadas da

percepção sobre a relação do corpo com a materialidade do espaço

urbano. Por meio de fricções entre o visível e o invisível, a realidade e a

ficção, trabalharemos com a colagem, a ressignificação de palavras e

de imagens e a camuflagem. As pesquisas da dramaturgia visual e das

ações performáticas da obra serão realizadas coletivamente por meio

de mapeamento sensível urbano e reflexões críticas sobre corpo,

sociedade e cultura que abordam noções de corpo, moldes de

comportamento social, consumo exacerbado, poluição visual, alienação

e apropriação midiática.


Indicado para: Interessados em investigações sobre a relação do corpo

com a cidade e em trabalhos performáticos na rua e, também,

trabalhos artísticos que experimentam na transversalidade entre

disciplinas artísticas e não artísticas. Performers, dançarinos, atores,

artistas visuais que tem o corpo como interesse central, colagistas e

artistas que transitam por inúmeras linguagens artísticas.


Material necessário: Participantes devem separar para os encontros on

line material para colagem: revistas, jornais e livros que possam ser

cortados, tesoura e cola.


Facilitadora: Luciana Lara (diretora artística da Anti Status Quo

companhia de Dança) com colaboração com o elenco de Camaleões.

Camaleões: é uma intervenção urbana feita de desaparecimentos.

Corpos totalmente cobertos por recortes de revistas e material de

publicidade perdem seus contornos e se fundem a vitrines, entradas de

lojas, paredes, muros, outdoors e outros ambientes de grandes centros

comerciais. Imagens e palavras, tiradas de anúncios e propagandas são

coladas estrategicamente em diferentes partes dos corpos dos

dançarinos, formando uma segunda pele. As relações entre os jargões

publicitários e as partes do corpo geram conotações que podem revelar

e denunciar as deturpações de valores, ideologias, e noções de corpo

produzidos pelo sistema econômico vigente. Como corpos mercadoria,

a pessoa desaparece naquilo que produz e consome. Os

desaparecimentos ressignificam a poluição visual do ambiente urbano,

levantando questões sobre o consumo exacerbado, a superexposição à

informações, a hiper sexualização do corpo como recurso publicitário, e

a crescente mercantilização da vida moderna.


LUCIANA LARA é artista da dança contemporânea, coreógrafa e

diretora da Anti Status Quo Companhia de Dança, um dos mais

reconhecidos grupos artísticos de Brasília e do Centro-Oeste do Brasil.

Mestre pela Universidade de Brasília (UnB). Especialização no Laban

Centre em Londres – Inglaterra. Licenciada em Artes Cênicas pela

Faculdade de Artes Dulcina de Morais. Seu trabalho se distingue pela

experimentação e a pesquisa de linguagem da dança, dramaturgias

críticas e forte diálogo com as artes visuais. Desenvolve investigação

sobre a relação do corpo com a cidade desde 2003. Principais

interesses: abordagem trans/ indisciplinar, conceitos expandidos de

dança, arte como experiência, percepção, processos criativos,

dramaturgia, relação com o público e novos suportes e formatos.

Escreveu e coreografou o livro “Arqueologia de um processo criativo-


Um livro Coreográfico” (2010), editora Antistatusquo. Criações de

destaque: Microutopias Cotidianas Aglutinantes do Lugar – espetáculo

caminhante (2019), De Carne e Concreto - Uma Instalação coreográfica

(2014), Cidade em Plano (2006) e as intervenções urbanas: Camaleões

(2009), Sacolas na cabeça (2014).


foto: luciana lara

Tags: